Jornal de Itatiba Portal de notícias de Itatiba

Menu
Sociedade
Por Agência Estado

Bolsas da Europa fecham em alta com expectativa de medidas econômicas

Por Agência Estado

As bolsas da Europa fecharam em alta, nesta quinta-feira, 26, em dia de grande volatilidade e expectativa por novos anúncios de medidas para ajudar a economia e diminuir os impactos da pandemia de coronavírus.

O grupo das 20 maiores economias do mundo (G20) divulgou comunicado de reunião virtual, reafirmando o comprometimento das nações em fazer "o que for necessário" para superar a crise.

As bolsas do Velho Continente também seguiram a alta dos mercados acionários em Nova York, reagindo à aprovação do pacote trilionário de ajuda financeira no Senado e a declarações do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, que sinalizou a possibilidade de ampliar o apoio à economia.

O índice Stoxx 600 encerrou o pregão em alta de 2,55%, a 321,38 pontos. As bolsas europeias começaram o dia em baixa, na expectativa da reunião do G20 e da divulgação, nos EUA, do salto no número de pedidos de auxílio-desemprego.

Havia certa cautela e fuga de risco.

Apesar dos números dos Estados Unidos atingirem nível recorde, investidores reagiram de maneira positiva, já que a leitura veio melhor do que a esperada por parte dos analistas, além de reforçar as apostas de estímulos fiscais e monetários em meio à pandemia de coronavírus. O comunicado do G20 também foi um propulsor para o terreno positivo.

O grupo das nações mais ricas informou que continuará a dar um apoio fiscal "ousado e em larga escala" para conter a pandemia.

"A ação coletiva do G-20 ampliará seu impacto, garantirá coerência e aproveitará sinergias", trouxe a declaração.

A dedicação do grupo se dará em conjunto com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial, a Organização das Nações Unidas (ONU) e outras organizações internacionais. Em meio às notícias, as bolsas passaram a subir, fechando todas nas máximas, com investidores acreditando que novas medidas em conjunto estão por vir.

Em relatório enviado a clientes, o Rabobank pondera que, assim como nos EUA, na Europa vemos a Alemanha caminhando em direção a um enorme estímulo fiscal de até 750 bilhões de euros.

Nove países da zona do euro estão exigindo o agrupamento fiscal dos "coronabonds" e aparentemente o BCE está aberto a ativar a ferramenta das transações monetárias definitivas (OMT) - o que permitiria ao Banco comprar quantidades ilimitadas de dívida soberana em países que acessam o fundo de resgate da Europa, o Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM)" O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, encerrou o dia em alta de 2,24%, a 5.815,73 pontos.

As ações da Antofagasta ganharam 3,38%, enquanto as da BHP tiveram valorização de 1,45%.

No Reino Unido, repercutiu a decisão do Banco da Inglaterra (BoE) de manter os juros básicos, após já tê-los cortado na semana passada em reunião extraordinária.

Em Frankfurt, o índice DAX terminou em alta de 1,28%, a 10.000,96 pontos.

Destaque para as ações da Lufthansa, que hoje fecharam em alta de 1,27%.

As da BMW se valorizaram 1,18%. Em Paris, o índice CAC 40 avançou 2,51%, a 4.543,58 pontos.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, subiu 0,73%, a 17.369,38 pontos.

Em Madri, o índice Ibex 35 subiu 1,31%, a 7.033,20 pontos, e o PSI 20, de Lisboa, avançou 1,47%, a 4.013,56 pontos.

Não conseguimos enviar seu e-mail, por favor entre em contato pelo e-mail

Entendi