Jornal de Itatiba Portal de notícias de Itatiba

Menu
Nacional
Por Agência Estado

Embaixador americano pede tarifa zero para etanol do país

Por Agência Estado

Preocupado com as eleições presidenciais dos EUA, o embaixador Todd Chapman pediu a integrantes do governo brasileiro para que as tarifas de importação do etanol americano sejam reduzidas a zero.

Atualmente, há isenção para até 750 milhões de litros por ano, mas a partir daí a tarifa é de 20%.

Entre os argumentos usados por Chapman está a importância para o governo Bolsonaro da manutenção de Donald Trump na presidência americana. De acordo com fontes do governo, o assunto foi abordado ontem durante reunião entre os ministros Paulo Guedes (Economia), Tereza Cristina (Agricultura), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).

A informação foi revelada pela coluna do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, e confirmada pelo Estadão/Broadcast.

Procurados, o Palácio do Planalto, o Itamaraty e o MME não se manifestaram. No encontro, segundo um participante do encontro, foi avaliado que o pedido do embaixador dos EUA "não tem cabimento" e é tratado como algo "impossível" dentro do governo.

A mesma fonte afirmou que o governo deve defender o interesse dos brasileiros, e não atender a um pleito que beneficia, com interesses eleitorais, outro país. O etanol americano vem do milho, cuja produção já é mais barata que o brasileiro, da cana-de-açúcar, e ainda recebe subsídios.

A pandemia reduziu a demanda e, consequentemente, os preços de gasolina e etanol.

O atendimento à demanda seria uma forma de obter apoio dos agricultores do Meio-Oeste dos Estados Unidos, um grupo que é importante base de apoio de Trump e que está revoltado com a ajuda anunciada pelo governo às refinarias. Reeleição difícil As eleições presidenciais estão marcadas para 3 de novembro, e as pesquisas mostram que Trump terá dificuldades para se reeleger em meio à pandemia da covid-19, que já registra 4,450 milhões de casos confirmados e 151 mil mortes no país, ranking liderado pelos EUA em ambos os casos.

Seu adversário, o democrata Joe Biden, tem conquistado apoio mesmo de Estados historicamente ligados aos republicanos. O Brasil importou 810,9,2 milhões de litros de etanol dos Estados Unidos neste ano.

No ano passado, foram 1,443 bilhão de litros, mas os números vem caindo ano a ano desde 2017, quando as importações atingiram a marca de 1,8 bilhão. A produção média de etanol nos EUA atingiu a marca de 931 mil barris por dia no início de julho.

No ano passado, os americanos exportaram 5,59 bilhões de litros, queda de 14% ante 2018, quando houve recorde de 6,47 bilhões de litros.

Foi a primeira queda desde 2015.

O atendimento à demanda americana teria forte impacto sobre os produtores brasileiros, principalmente os do Nordeste.

O preço médio de exportação de etanol nos EUA foi de US$ 410 por litro em junho, o menor entre todos os produtores mundiais. As informações são do jornal O Estado de S.

Paulo.

Não conseguimos enviar seu e-mail, por favor entre em contato pelo e-mail

Entendi