Jornal de Itatiba Portal de notícias de Itatiba

Menu
Esportes
Por Agência Estado

Raphinha se destaca, Brasil brilha e goleia Uruguai por impiedosos 4 a 1

GOLS - Neymar, aos 9 e Raphinha, aos 17 minutos do primeiro Tempo; Raphinha, aos 12, Suárez, aos 31 e Gabriel Barbosa, aos 37 do segundo

Por Agência Estado

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Dez jogos, com nove vitórias e um empate, e quase nenhuma empolgação do torcedor. Esse era o frio resumo da campanha da seleção brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 até o começo da quinta-feira. Em seu 11º jogo na corrida rumo ao Catar, o Brasil fez o clássico contra o Uruguai, venceu de forma impiedosa por 4 a 1 e recuperou seu prestígio com propriedade. A vitória apareceu com um futebol coletivo, mas com um destaque para um protagonista diferente - Raphinha, o então desconhecido atacante do Leeds United mostrou suas credenciais de titular da equipe. Fazia um bom tempo que a seleção brasileira não jogava tão bem.

Calejado com as críticas ao pobre futebol apresentado na vitória sobre a Venezuela e no empate com a Colômbia, Tite resolveu apostar em Raphinha como titular no ataque, ao lado de Neymar e Gabriel Jesus. Em seu primeiro jogo como titular com a camisa da seleção brasileira, em sua segunda convocação, o atacante do Leeds United, do Campeonato Inglês, jogou solto e teve uma noite muito inspirada. Apoiado em seu futebol, o Brasil dominou o Uruguai como se a tradicional Celeste Olímpica fosse uma equipe qualquer - apesar de ser um conjunto um tanto envelhecido, definitivamente não se trata de um time ruim. O jogo começou com a seleção brasileira trocando passes rápidos e sem medo de finalizar na meta do bom goleiro Muslera.

Logo aos dois minutos, Neymar recebeu pela esquerda, puxou para o meio e bateu firme para uma defesa firme do arqueiro uruguaio. Mas aos nove minutos a defesa do Uruguai não conseguiu parar o melhor jogador brasileiro. Fred, que fazia a dupla de volantes com Fabinho, deu um lindo toque por cima da zaga para Neymar, já dentro da área. Ele dominou no peito, tirou Muslera da jogada e finalizou com força, sem ângulo, para abrir o placar na Arena Amazônia - 1 a 0 para o Brasil.

Foi o 70º gol de Neymar em 115 jogos com a camisa da seleção brasileira e assim ele fica a apenas sete gols de se igualar ao Rei Pelé como o maior artilheiro do Brasil na história. Depois de muita festa da torcida em Manaus, o Brasil não parou de trocar passes em velocidade e nem parou de atacar. Aos 17 minutos, Lucas Paquetá fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Neymar, dentro da área. O atacante do Paris Saint-Germain dominou e chutou, mas a bola bateu no zagueiro Godín. Muslera tentou afastar o perigo, mas Raphinha apareceu rápido pela direita e só empurrou para marcar o seu primeiro gol pela seleção - 2 a 0 para o Brasil.

Com o seu gol, Raphinha coroava o ótimo início de trajetória na seleção. Contra a Venezuela, ele entrou no segundo tempo e deu duas assistências para a virada brasileira na vitória por 3 a 1 em Caracas; no domingo, em Barranquilla, mais uma vez entrou no segundo tempo e deu bom ritmo de jogo para o time de Tite; por fim, nesta quinta-feira apareceu pela primeira vez como titular e tomou conta da posição. Além de atacar com velocidade e em bloco, a marcação da seleção brasileira foi muito forte e esteve implacável. Zagueiros e volantes não deram quase nenhum espaço para os craques Edinson Cavani e Luís Suárez, estrelas do time do Uruguai.

Na frente, os meias e atacantes conseguiam criar e abusavam dos dribles, dando muito trabalho para os experientes Valverde e Betancour na contenção das jogadas pelo lado uruguaio. Fred e Fabinho se revezavam no desarme das jogadas de ataque do Uruguai e Lucas Paquetá regia o meio-campo com muita categoria, algo que ele demorou a demonstrar com a camisa brasileira. Aos 33, o lateral-esquerdo Alex Sandro foi para o meio e deu excelente passe para Gabriel Jesus. O atacante do Manchester City dominou, mas Muslera fechou o ângulo na hora do chute. Sem espaço para definir, ele tocou para Raphinha, que devolveu para Jesus, que acabou desarmado.

O Uruguai chegou com perigo pela primeira vez apenas aos 34, quando Betancour bateu firme da entrada da área e a bola passou raspando a trave direita de Ederson. Quatro minutos depois, mais uma vez Muslera parou o ataque brasileiro. Neymar tabelou com Raphinha dentro da área, dominou e bateu de esquerda, mas o goleiro se esticou todo e conseguiu fazer a defesa. Dois minutos depois, foi a vez de Raphinha receber bom passe de Emerson, passar como quis por Godín e bater firme, para nova intervenção do arqueiro uruguaio.

O Brasil voltou para o segundo tempo com o mesmo ímpeto. A voracidade na hora do ataque deixou, finalmente, o torcedor brasileiro satisfeito. Logo no primeiro minuto, Neymar quase ampliou; aos três minutos, Gabriel Jesus parou em Muslera; aos cinco, mais uma vez o goleiro parou o ex-palmeirense; um minuto depois, Raphinha exigiu nova intervenção do arqueiro - um massacre. O terceiro gol era questão de tempo e chegou aos 12 minutos. Em rápido contra-ataque, Gabriel Jesus tocou rápido para Neymar, que esticou a bola e tocou para Raphinha na frente dos zagueiros. O atacante gaúcho entrou em velocidade na área e chutou forte no canto esquerdo, sem chances para Muslera - 3 a 0 para o Brasil, fora o baile. Tite começou a mexer na seleção e mandou Antony e Gabriel Barbosa a campo. Aos 19, em uma ótima tabela entre os dois, Gabriel bateu firme, mas o 'paredão' uruguaio conseguiu espalmar para escanteio.

A cena se repetiu aos 28, com mais uma vez o atacante do Flamengo sendo parado pelo melhor jogador do Uruguai em campo. Aos 30, Piquerez, lateral-esquerdo uruguaio que joga no Palmeiras, sofreu falta perigosa na entrada da área brasileira. Na hora da batida, o craque apareceu. Luis Suárez cobrou com perfeição, no canto esquerdo baixo de Ederson, e diminuiu para a Celeste. Mas o Brasil seguia com sua forma de jogar. Aos 37, Neymar cruzou na cabeça de Gabriel Barbosa, que cabeceou para o gol, mas a jogada foi paralisada por impedimento. Contudo, após análise do VAR, o gol foi validado, para a celebração do centroavante. Depois, até o fim do jogo, as duas seleções diminuíram o ritmo. O Brasil chegou aos 31 pontos e segue firme em sua caminhada rumo ao Catar. O próximo jogo da seleção será em 11 de novembro, contra a Colômbia, na Neo Química Arena, em São Paulo.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 4 X 1 URUGUAI

BRASIL - Ederson; Emerson, Lucas Veríssimo, Thiago Silva e Alex Sandro; Fabinho (Douglas Luiz), Fred (Edenílson) e Lucas Paquetá (Antony); Raphinha (Everton Ribeiro), Gabriel Jesus (Gabriel Barbosa) e Neymar. Técnico: Tite.

URUGUAI - Muslera; Nández (Cáceres), Coates, Godín e Viña (Piquerez); Valverde, Bentancur, Vecino (Facundo Torres) e De La Cruz (Torreira); Luis Suárez e Cavani. Técnico: Óscar Tabárez.

GOLS - Neymar, aos 9 e Raphinha, aos 17 minutos do primeiro Tempo; Raphinha, aos 12, Suárez, aos 31 e Gabriel Barbosa, aos 37 do segundo. ÁRBITRO - Fernando Rapallini (ARG). CARTÕES AMARELOS - Fabinho (Brasil), Valverde, Cavani e Cáceres (URUGUAI). Renda - R$ 2.943,725,00. PÚBLICO - 12.528 torcedores. LOCAL - Arena DA Amazônia, em Manaus.

tópicos

Não conseguimos enviar seu e-mail, por favor entre em contato pelo e-mail

Entendi

Nós usamos cookies

Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookies. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

Aceitar todos os cookies