Jornal de Itatiba Portal de notícias de Itatiba

Menu
Esportes
Por Agência Estado

Em manhã de protestos e golaços, Botafogo goleia a Cabofriense no Engenhão

Por Agência Estado

Após muitos protestos dentro e fora de campo, o Botafogo retornou ao Campeonato Carioca contra a sua vontade e derrotou a Cabofriense com muita facilidade, pelo placar de 6 a 2, na manhã deste domingo, no Engenhão, pela quarta rodada da Taça Rio. Os protestos por parte do time alvinegro começaram fora de campo.

Apesar de ter recebido uma liminar para comandar o Botafogo neste domingo, o técnico Paulo Autuori compareceu ao Engenhão, mas não ficou no banco de reservas com o claro intuito de alfinetar a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), a quem fez duras críticas ao longo da semana. O Botafogo entrou em campo com uma camisa com os dizeres 'vidas negras importam', em referência ao jovem João Pedro e a George Floyd, ambos mortos em ação da polícia, no Brasil e nos Estados Unidos, respectivamente.

Antes da bola rolar, foi decretado um minutos de silêncio em homenagem às vítimas do novo coronavírus. Assim que o árbitro apitou o início do jogo, os jogadores do Botafogo esperaram dois minutos para se ajoelharem com a mão para o alto, em manifestação contra o racismo.

Apenas um atleta da Cabofriense teve a mesma atitude. O jogo recomeçou e o Botafogo abriu o placar no minuto seguinte.

Luis Henrique avançou em velocidade pela esquerda, deixou o adversário para trás, invadiu a área e chutou cruzado.

Pedro Raul chegou de carrinho para empurrar para o fundo das redes. Apesar do ritmo intenso imposto pelo time da casa nos minutos iniciais, a partida caiu de produção com o decorrer do tempo.

Sem o ritmo de jogo ideal, muitos atletas pediram atendimento médico.

O Botafogo, no entanto, seguiu melhor e ampliou aos 38 minutos.

Cícero arriscou de longe e contou com um desvio do zagueiro para fazer 2 a 0. A Cabofriense foi colocar fogo na partida apenas no segundo tempo.

Logo aos quatro minutos, Watson recebeu pelo lado direito e cruzou na medida para Emerson Carioca, que subiu sozinho para diminuir.

A resposta, no entanto, foi imediata.

Pedro Raul recebeu de Bruno Nazário e chutou sem chances para George. O time visitante não desistiu e fez o segundo aos 15 minutos.

Diego Sales invadiu a área e acabou sendo puxado por Luiz Fernando dentro da área.

O próprio atleta foi para a batida e fez 3 a 2.

Mas a superioridade seguiu sendo do Botafogo.

Aos 29 minutos, Caio Alexandre deu lindo lançamento para Bruno Nazário, que teve dificuldade em fazer o domínio, mas chutou bonito para superar George. Com a Cabofriense batida, o Botafogo ainda fez o quinto aos 34 minutos.

Luis Henrique recebeu na esquerda, fez fila na defesa adversária e chutou forte na entrada da área para marcar.

O sexto veio aos 44, em uma linda jogada de Caio Alexandre, que selou sua grande atuação na partida com um golaço. Na próxima rodada, o Botafogo, terceiro colocado do Grupo A, com sete pontos, enfrenta a Portuguesa na quarta-feira, no Luso Brasileiro.

No mesmo dia, a Cabofriense, lanterna, ainda sem pontuar, pega o Bangu, em Moça Bonita. FICHA TÉCNICA: BOTAFOGO 6 X 2 CABOFRIENSE BOTAFOGO - Diego Cavalieri; Marcelo Benevenuto, Ruan Renato, Cícero (Luiz Otávio) e Danilo Barcelos; Alex Santana (Caio Alexandre), Honda e Bruno Nazário (Lecaros); Luiz Fernando (Fernando), Luis Henrique e Pedro Raul.

Técnico: Renê Weber (auxiliar). CABOFRIENSE - George; Watson, Lucas Cunha, Fábio Amaral e Luan (Uelliton); Victor Feitosa, Gama (João Pereira) e Kaká Mendes; Diego Sales (Fabiano), Emerson Carioca e Pedrinho Menezes (Natan).

Técnico: Luciano Quadros. GOLS - Pedro Raul, aos três, e Cícero, aos oito minutos do primeiro tempo.

Emerson Carioca, aos quatro, Pedro Raul, aos oito, Diego Sales, aos 15, Bruno Nazário, aos 29, Luis Henrique, aos 34, e Caio Alexandre, aos 44 minutos do segundo tempo. ÁRBITRO - Luiz Claudio Regazone CARTÕES AMARELOS - Cícero (Botafogo) LOCAL - Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Não conseguimos enviar seu e-mail, por favor entre em contato pelo e-mail

Entendi