Jornal de Itatiba Portal de notícias de Itatiba

Menu
Entretenimento
Por Roberto

Ilha das Couves é um paraíso em Ubatuba

A estrutura existente é bem simples, prepare-se com comidas e bebidas, mas lembre-se que acampar e fazer churrasco é proibido

Por Roberto

Por Diego Oliva

Frequento bastante Ubatuba, mas sempre fico em Maranduba, na parte sul da cidade. Quem conhece Ubatuba, sabe que o deslocamento por lá não é fácil, principalmente no verão.

Isso acontece porque a Estrada Rio-Santos, muitas vezes, é o único caminho que liga as diversas praias da cidade, e sempre tem trânsito no verão.

 A Ilha das Couves

A ilha não era tão conhecida há alguns anos atrás, porém com a ajuda do Instagram, tornou-se um destino muito procurado pelos turistas de Ubatuba e de Paraty.

A beleza desta parte do litoral brasileiro se dá pela presença da Mata Atlântica e pelas águas cristalinas em tons de verde e azul.

A ilha é relativamente pequena, tem uma área de 58 hectares e fica localizada a menos de 3 Km do continente.

Melhor época para ir

Sempre quando pensamos em praia, vem logo à cabeça o verão. Porém, tenho tido umas experiências bem legais no inverno em Ubatuba. Como a cidade lota na alta temporada, principalmente nas praias centrais, tudo vira um caos e fica difícil circular por lá.

Se você vai pra Ubatuba e pretende curtir a praia perto de onde está hospedado não terá problemas, o complicado é quando a gente quer desbravar as muitas (e belas) praias da cidade. Neste sentido, o inverno nos recompensa com praias vazias e pouco trânsito.

Às vezes a temperatura não é muito convidativa para nadar, porém o contato com a natureza, sem esbarrar em uma multidão, compensa muito.

A Ilha das Couves sofre com o turismo desordenado. Por este motivo, decidi conhecê-la em um final de semana de agosto, completamente fora de feriados e da alta temporada. Mesmo sendo inverno, o dia estava quente, e consegui aproveitar bastante a ilha. O problema é que a ilha tem apenas duas praias, super pequenas, com faixas estreitas de areia. Vi algumas fotos no verão e quis fugir de toda maneira daquela muvuca. Então, se for na alta temporada, muito provavelmente terá uma experiência bem diferente da minha. Eu curti a praia com dois amigos e mais umas 20 pessoas, no máximo.

Como ir

A travessia pode ser realizada com barqueiros, lanchas ou através de passeios. A praia que possibilita o acesso mais fácil é Picinguaba.

Além de Picinguaba, é possível contratar passeios de barco na Praia da Almada, Prumirim, Félix e Itaguá. Estes passeios são bem interessantes, porque nos levam a conhecer outras ilhas e praias de Ubatuba.

Picinguaba é uma das últimas praias de Ubatuba no sentido norte. Dali até Paraty são apenas 35 Km.

Eu tinha conseguido o Whatsapp de um barqueiro e mandei uma mensagem a ele. Vale lembrar que era a terceira tentativa de ir até a Ilha das Couves, pois nas vezes anteriores fui desaconselhado por conta das condições climáticas. Pelo que entendi, mesmo que o dia esteja bonito, pode ser que a travessia não seja possível por conta da maré.

Naquele dia dirigimos de Maranduba à Picinguaba, numa viagem de uma hora e meia, por mais de 70 Km.

Ubatuba se estende até Paraty, então muitas vezes é preciso prestar atenção às distâncias, pois depende de que lado da cidade está hospedado.

Na Estrada Rio-Santos, vimos uma placa indicando Picinguaba, dali foram mais 2,5 Km até a praia propriamente dita. A estrada não estava ruim, mas é meio sobe e desce. Sendo assim, é bom tomar bastante cuidado neste trecho. Numa determinada parte vários moradores oferecem a travessia para a Ilha das Couves. O preço é tabelado.

Aí eles dão uma pulseira e depois, chegando à vila, alguém orienta como embarcar. Estacionamos o carro no acesso à praia e não pagamos nada, mas caso esteja lotado eles oferecem lugares para estacionar o carro por aproximadamente 20 reais. Ficamos um pouco perdidos ali, pois tínhamos pago e não sabíamos em qual barco ir. Perguntamos para uma pessoa na praia e logo fomos informados.

Como é a travessia para a ilha

A distância é de menos de 3 Km, percorridos entre 10 e 15 minutos. Eles fornecem um colete salva-vidas e o barco é daqueles pequenos, de pescador mesmo, com fileiras de banco de madeira.

É bem legal que o barqueiro é “meio que guia” e vai explicando um pouco sobre a paisagem e lugares. Por exemplo, vimos a armação da pesca de cerco, onde os peixes ficam presos dentro da rede, porém vivos, aqueles não aproveitados são liberados. O barqueiro nos explicou que esta é uma pesca sustentável e artesanal, pois são usadas canoas sem motorização.

Um pouco mais à frente, o barco passa entre a Ilha Comprida e uma ilhota. Neste trecho, bem bonito, existe uma casa, que segundo o barqueiro, pode ser locada.

Ah, no caminho também vi a Praia da Fazenda ao longe, a qual já tinha conhecido. É uma das praias mais selvagens de Ubatuba, e tem sua paisagem marcada pelo mar e por uma lagoa. Vale a pena.

Nos aproximamos mais da Ilha das Couves, onde vimos a Toca da Velha, uma pequena gruta, onde a água é transparente. Observe que existem várias pequenas ilhas nesta região, como a Ilha da Carapuça. Um pouco mais de navegação e chegamos à Ilha das Couves. Combine com o barqueiro seu horário de volta. Eu fiquei umas duas horas por lá.

Praias da Ilha das Couves

A primeira praia que avistamos é bem pequena, o nome é Praia das Couves, com apenas 55 metros de largura. Ali existe uma estrutura com quiosque e banheiro, onde é possível almoçar ou simplesmente comer alguma coisa.

A segunda, a do Japonês, é maior, mas nem tanto assim, tem aproximadamente 150 metros, motivo pelo qual é fácil lotar.

Esta praia é bem gostosa para banho, mas caso queira circular entre uma e outra, basta fazer uma pequena trilha de 5 minutos

Vila de Picinguaba

Apesar de citar Picinguaba somente como o ponto de onde saem os barcos para as Couves, é um lugar bastante interessante em Ubatuba. Os barcos coloridos e a vilinha formam uma paisagem bem pitoresca. Tem a Capela da Imaculada Conceição, uma igreja bem antiga em Ubatuba.

No Brasil não somos privilegiados com pores-do-sol no mar, mas como Picinguaba está voltado para o oeste, podemos presenciar este espetáculo. E olha, que não é muito comum nas nossas praias.

Informações importantes

A Ilha das Couves sofre com a enchente de turismo. Acredito que a Prefeitura de Ubatuba precisa pensar num projeto de manejo turístico. É importante sempre lembrar de trazer o lixo para o continente, já que não existe coleta por lá. Como a estrutura existente é bem simples, prepare-se com comidas e bebidas, mas lembre-se que acampar e fazer churrasco é proibido.

** ATENÇÃO: O ACESSO À ILHA DAS COUVES ESTÁ LIMITADO A 530 PESSOAS POR DIA **

tópicos

Não conseguimos enviar seu e-mail, por favor entre em contato pelo e-mail

Entendi